• Post published:25 de janeiro de 2021

CORPO DE BOMBEIROS ALERTA PARA RISCO DE AFOGAMENTO EM ÉPOCAS DE CHEIA DO RIO ACRE

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre (CBMAC) registrou no ano de 2020, cerca de 23 (vinte e três) mortes por afogamentos, número menor que em 2019, a qual registrou 33 (trinta e três) ocorrências dessa natureza. Mesmo diante de uma diminuição de casos, o número ainda preocupa e a Corporação sempre alerta para que ocorrências desse tipo não venham a acontecer, pois a prevenção é sempre o melhor caminho.

O Comandante-Geral do CBMAC, Coronel Carlos Batista, esclarece que em períodos de cheia do rio, além da elevação de seu nível e o risco de inundação, há o aumento da correnteza, bem como o de descida de troncos e galhos de árvores, conhecidos como balseiros, que podem vir a causar tanto acidentes com embarcações como acidentes com pessoas que venham a aventurar-se nas águas barrentas do Rio Acre. “A maioria dos óbitos por afogamento ocorrem em rios e represas e 90% desses, acontecem por ignorar os riscos e não respeitar os limites pessoais” – disse o comandante.

            O Comandante alerta que para se evitar riscos desnecessários, é preciso estar atento a alguns cuidados:

   Em rios:

  • Nunca entre em local desconhecido;
  • Não entre na água se estiver alcoolizado. O uso de bebidas alcoólicas tira o senso de perigo e expõe a pessoa a riscos desnecessários;
  • Evite mergulhar de cabeça em locais que não conhece, pois as águas barrentas escondem o perigo de balseiros que podem não estar na superfície das águas;
  • Jamais faça saltos impróprios de pontes ou locais mais elevados;
  • Não participe de brincadeiras perigosas; 
  • Muita atenção com as crianças: designe uma pessoa específica para tomar conta delas. Essa pessoa deve evitar o consumo de bebida alcoólica e se concentrar exclusivamente no cuidado às crianças;
  • Evite permanecer próximo de locais onde haja embarcações;
  • Esteja sempre atento a condição do tempo, a profundeza das águas e força da correnteza.
  • Nos rios, caso perca o controle, nade no mesmo sentido da correnteza, tente ficar mais próximo das laterais e procure se aproximar lentamente das margens;

Em embarcações e moto aquáticas:

  • Utilize sempre coletes salva-vidas;
  • Apenas pilote se for habilitado;
  • Jamais permita que crianças pilotem as moto aquáticas.
  • Evite a navegação noturna, devido à pouca visibilidade e presença de balseiros que podem chocar-se à embarcação.

 

O comandante ressalta ainda que todo ambiente aquático requer cuidados. “É preciso sempre estar atento às orientações do Governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros Militar para se evitar tragédias em ambientes aquáticos, principalmente em períodos de cheia dos rios” – finalizou.