• Post published:17 de maio de 2022

Na noite do dia 14 de maio de 2022 os batalhões 1º e 2º BEPCIF deslocaram para atendimento da ocorrência de incêndio na Biblioteca da Floresta no Canal da Maternidade, em Rio Branco. O 1º batalhão, chegando primeiro ao local, notou uma grande quantidade de fumaça saindo da edificação, armado um divisor com duas linhas e iniciado o combate às chamas. Solicitado apoio das guarnições do 2º BEPCIF que prontamente compareceram ao local com mais uma VTR para suporte de água e bombeiros militares para atuar. Cada caminhão de combate a incêndio possui cerca de 5.000 litros de água para serem utilizados em ocorrências.

A baixa visibilidade provocada pela fumaça foi controlada com um exaustor, ventilador a combustão apropriado, de funcionamento independente, não necessitando de energia elétrica. O que possibilitou o controle e extinção das chamas após um trabalho intenso de dissipação da fumaça com esse equipamento.

Realizada a abertura forçada da porta de vidro lateral, de onde seria o acesso ao salão de exposições, e a retirada de algumas peças de acrílico da cobertura, para facilitar a saída da fumaça e acesso ao local. Com as condições de visibilidade melhorada foi possível verificar que o sinistro atingiu um local onde ficava armazenado uma grande quantidade de papéis e caixas de arquivo, sendo controlado antes de atingir o restante da edificação. Ao término da ocorrência foram feitas orientações ao vigia do local com relação à segurança da edificação e a dispersão da fumaça remanescente.

Na manhã do dia 15 de maio de 2022 os batalhões 1º e 2º BEPCIF deslocaram para atender a ocorrência onde relatava que as chamas haviam reignido na Biblioteca, chegando prontamente ao local, foi verificado apenas fumaça nos arquivos de papeis. A fumaça foi controlada e dissipada com o ventilador a combustão, os bombeiros militares equipados com EPRA adentraram ao edifício para verificar os papeis que ainda estavam fumaçando. Realizado o rescaldo do material já queimado, uma linha direta para combate as fagulhas e revezamento dos militares de 10 em 10 minutos para espalhar o material já queimado para fora do ambiente onde iniciou as chamas.

Visto que o parte estrutural está totalmente preservada, o fogo ficou confinado em apenas uma sala do prédio. O presidente da Elias Mansur, o senhor Manuel Pedro de Souza Gomes, agradeceu ao CBMAC pelo excelente trabalho realizado e prontamente atendido. Todas as orientações referentes ao prédio e ocorrência foram repassadas ao responsável que estava no local, o mesmo foi isolado e está sendo monitorado.